Pix será cobrado em 2024? Confira as regras do BC

0
474

O Pix, com sua rapidez e facilidade, mudou completamente a forma como os brasileiros realizam transações financeiras. Recentemente, circularam boatos nas redes sociais de que ele seria taxado a partir de 2024. Contudo, esses rumores não têm fundamento. As regras do Banco Central, estabelecidas em 2020, quando o Pix foi lançado, permanecem inalteradas. Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, assegurou no Senado Federal que não há planos para taxar o Pix para pessoas físicas em geral. As regras vigentes permanecerão inalteradas. Para pessoas físicas, MEIs e empresários individuais: 1. Cobrança pode ocorrer se o cliente optar por canais alternativos, como atendimento telefônico ou presencial, para realizar a transferência; 2. Recebimento de Pix para fins comerciais pode gerar taxas; 3. Mais de 30 Pix mensais também podem ser taxados; 4. Recebimento via QR Code dinâmico ou de pessoa jurídica também pode ser tarifado. Para pessoas jurídicas: 1. Taxação quando o recebedor é pessoa física e a empresa usa o Pix com dados da conta, chave ou iniciação de transação de pagamento; 2. Cobrança se o recebedor é pessoa jurídica e a empresa usa o Pix com dados da conta ou chave; 3. Pix recebido de pessoa física pode ser taxado; 4. Recebimento via QR Code ou serviço de iniciação de pagamento por pessoa jurídica também permite cobrança.

Fonte: R7