Projeto Escolas Culturais é lançado em Itapetinga

0
67

O projeto Escolas Culturais foi lançado, nesta sexta-feira (27), no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itapetinga (a 497 km de Salvador), a 15ª cidade a receber o projeto na rede estadual de ensino. Os estudantes protagonizaram apresentações de dança, teatro, música e poesia para mostrar as ações de arte e cultura já desenvolvidas na unidade escolar e que serão potencializadas com o ‘Escolas Culturais’, que além de promover o protagonismo estudantil, reconhece e requalifica a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida.

A estudante Gabriela Moura, 17 anos, 3º ano do Ensino Médio, apresentou a sua poesia denominada de “Brasil: um país de diversidades”, que ela fez especialmente para o lançamento e falou sobre o significado deste momento para ela. “Esta foi a primeira vez que eu declamo uma poesia minha em público e estou muito contente pela experiência. A poesia retrata que cada um de nós tem sua essência, que devemos aprender a nos respeitar e que todos somos iguais, independentemente da cor da nossa pele”.

Além das performances estudantis, o lançamento do ‘Escolas Culturais” contou com a participação do grupo de capoeira Raízes Quilombo, que apresentou a ladainha ‘O que é isso dona Izabel’, retratando a abolição da escravatura como movimento de resistência no Brasil. Também foi exibido um curta-metragem do projeto Produção de Vídeos Estudantis (PROVE), com o tema ‘Solidão’. Como parte da estruturação da unidade escolar para a execução do projeto Escolas Culturais, o colégio recebeu um kit completo de uma sala de cinema, com computador, projetor, tela de cinema de cinco metros quadrados, caixa de som e oito equipamentos de ar-condicionado.

O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, presente ao lançamento, disse que o projeto, além de promover o protagonismo estudantil, também apresenta diferenciais pedagógicos que levam para o currículo escolar, a identidade e a cultura regionais. “A ideia do projeto Escolas Culturais é integrar a cultura de cada território com a escola, com o que se pratica na escola podendo chegar ao território e o que se pratica no território adentrando na escola. Portanto é uma interação e ao mesmo tempo uma mudança consubstancial no currículo, ou seja, muda a forma, muda o conteúdo e o eixo pedagógico”, destacou, ao acrescentar que a unidade vai receber os chromebooks para a implantação do projeto e-Nova Educação, desenvolvido em parceria com o Google, e que as escolas estaduais de Itapetinga vão ofertar cursos da Educação Profissional e Tecnológica. Na oportunidade, também foi autorizada a construção da cobertura da quadra poliesportiva do colégio.

Fotos: Claudionor Jr

O coordenador do ‘Escolas Culturais’ em Itapetinga, Tales Pita, falou que o projeto imprime uma nova dinâmica para a produção de arte e cultura da região. “Os estudantes já estão integrados com a proposta do projeto, pois participam e se envolvem em todas as atividades que já estamos realizando. A integração com a comunidade também está sendo muito interessante, com iniciativas que envolvem, por exemplo, a exibição de filmes”, afirmou.

O projeto Escolas Culturais também já foi lançado em Jequié, Ilhéus, Itabuna, Juazeiro, Gandu, Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Itaberaba, Teixeira de Freitas, Guanambi, Seabra, Ipiaú, Irecê e Santo Antônio de Jesus e é resultado de parceria entre as Secretarias da Educação, de Cultura (SECULT), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil.
Fonte: Ascom/BA