Jequié recebe projeto Escolas Culturais para fomentar a arte e a cultura no território

0
79

Em clima de festejos juninos, o Projeto Escolas Culturais foi lançado, nesta quinta-feira (21), no Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Régis Pacheco, localizado no município de Jequié (a 430 km de Salvador), região do Sul Baiano. A atividade foi marcada por apresentações artísticas que envolveram música, repente, dança, flash mobile, hip hop, coral de libras, literatura, artes plásticas e vídeos, com o envolvimento de estudantes, gestores e comunidade.

Representando o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Durval Libânio, ressaltou a importância da diversidade cultural do território de identidade. “O projeto Escolas Culturais vem reafirmando a função da escola de promover a diversidade cultural das regiões onde é implantado. E a cultura pode ser destacada tanto na arte como em outros aspectos, como na área econômica e alimentar, onde já trabalhamos com as Fábricas-Escolas. O objetivo da Secretaria é trilhar o caminho onde a escola e a comunidade sejam uma só. E estamos neste caminho,” disse. Ainda esteve presente a secretária da Cultura do Estado, Arany Santana, e demais autoridades locais.

 

A diretora da unidade, Cynara Pereira, falou do papel da escola como fomentadora de cultura da região. “A escola sempre desenvolveu atividades culturais que promovessem a integração da localidade com a participação de estudantes, ex-alunos, comunidade e pessoas de outras cidades. Por isso, acredito que temos realmente uma função territorial que vai ser bastante desenvolvida com o projeto Escolas Culturais. Com o lançamento, damos continuidade aos nossos projetos com características de mobilização e fomento da cultura”, afirmou.

 

O coordenador cultural, Marcos Belchote, contou como o projeto vem modificando a escola. “Estamos desenvolvendo atividades de música em vários estilos, literatura e teatro, com alunas da Universidade Estadual do Sul da Bahia (UESB). Apesar de termos um ambiente bastante cultural, a chegada do projeto abre muitas portas e dá outra dimensão, consolidando parcerias e promovendo a arte na escola”, disse.

 

A estudante do curso técnico em Secretariado, Paula Almeida, 37 anos, com deficiência auditiva, falou sobre estudar em uma unidade que tem a cultura associada à sua pedagogia. “Sempre tive um carinho especial pelo CEEP, devido a toda estrutura inclusiva que possui, dando oportunidade de nos qualificarmos profissionalmente. Agora, fico feliz de estarmos inseridos também no aspecto cultural. Participar do Coral de Libras é muito estimulante”, salientou.

 

Para Diana Santana, 27, estagiária de teatro e dança do programa Mais Futuro, da UESB, trazer a cultura para a escola transforma o ambiente de aprendizagem. “A coreografia da dança ‘Fragmentos de um só’, que apresentamos hoje, mostra muito do conceito que entendemos para a arte, de ser reflexiva. Trabalhamos com ações que combatem o preconceito, promovem o protagonismo e o empoderamento dos jovens. A perspectiva é que consigamos fazer ainda mais pela cultura da região”, disse.

 

O padrinho da Escola Cultural, o cantor e compositor jequieense, Rosinaldo Nunes Santos, conhecido como Rosibanda, comentou sobre a oportunidade única que os estudantes estão ganhando. “Na época em que estudei nessa escola gostaria de ter tido essa chance. Então digo a todos que estou muito feliz de ganhar essa responsabilidade de ser padrinho do projeto e vamos fazer muitas atividades por aqui”, destacou.

Fotos: Claudionor Jr

 

Sobre o projeto –  A cidade de Jequié é a 13ª a receber o projeto Escolas Culturais, que também já foi implantado em Itabuna, Juazeiro, Gandu, Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Itaberaba, Teixeira de Freitas, Guanambi, Seabra, Ipiaú, Irecê e Santo Antônio de Jesus. A iniciativa potencializa as experiências artísticas e culturais já existentes nas unidades escolares e fomenta novas atividades. As escolas que recebem o projeto estão sendo requalificadas para o desenvolvimento de ações pedagógicas voltadas para a dança, música, literatura, inovação, para o audiovisual e o empreendedorismo, dentre outros.

 

O projeto Escolas Culturais é resultado de parceria entre as Secretarias da Educação (SEC), de Cultura (SECULT), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil.

Fonte: ASCOM/BA