Sem acordo até o momento, greve dos caminhoneiros continua

0
305

arados desde segunda-feira dia 21, os caminhoneiros continuam firmes em suas posições. Embora ao longo da semana outras pautas tenham surgido, a principal reivindicação continua sendo o preço do diesel. Já o governo não aceitou a reivindicação exatamente nesse ponto, por conta disso, não houve acordo entre manifestantes e poder público, então a greve dos caminhoneiros continua.

Propostas para o momento

O estado de São Paulo ofereceu a isenção do pagamento do pedágio do eixo erguido nos caminhões vazios, desconto de 2% no IPVA para autônomos e cancelamento de multas decorrentes das mobilizações. Os manifestantes aceitaram essas condições, porém não houve acordo no ponto mais importante, o combustível. O governo federal tinha oferecido 30 dias de desconto e 30 dias de estabilidade do preço, já a categoria pede 60 dias, o governo federal diz que não pode atender.

Outro grupo se reúne no Palácio do Planalto e exige um preço mínimo de frete, zerar as alíquotas de PIS/Cofins e Cide e congelamento de diesel por 90 dias. Motoristas dizem que só aceitam caso o acordo seja feito por medida provisória e já passe a valer amanhã, segunda-feira.

Fonte: Pé na Estrada